sábado, 2 de novembro de 2013

Billboard: "O retorno do Eminem"



Para o The Marshall Mathers LP 2, Eminem colocou para ele um objetivo: recriar o momento quando as pessoas ouviram ele pela primeira vez em um álbum.
Mesmo no auge de sua popularidade, quando ele levantava o inferno na MTV, inspirando jovens a pintar o cabelo, e vendendo álbuns mais que qualquer outro artista de sua geração, Eminem nunca foi muito bom em ser famoso. Ele ainda s sente estranho nas entrevistas, ainda vive em sua terra-natal Detroit e mantêm o mesmo grupo de amigos que teve na maior parte de sua vida adulta. Dois de seus melhores álbuns, The Marshall Mathers LP (2000) e The Eminem Show (2002), era sobre a revolta com a fama ou uma resposta para aqueles que o provocou. Em seu último single "The Monster", música com a participação de Rihanna lançada dia 28 de outubro, o desconforto do rapper superstar ainda é o assunto central.
"I wanted the fame, but not the cover of Newsweek/Oh well, I guess beggars can't be choosy,"(Eu queria a fama, mas não a capa da Newsweek, oh bem acho que mendigantes não podem ser exigentes) ele rima. "Wanted to receive attention for my music/Wanted to be left alone in public, excuse me."(Eu queria receber atenção pela minha musica, queria ser deixado em paz em público)
"Eu lembro de como parecia que a merda estava voando em minha direção e nada parecia real", diz Eminem ao lembrar da frenética atenção da mídia sobre ele em seus primeiros anos de carreira. "Quando eu fazia aos álbuns eu descontava minha frustração sobre isso lá. Quero dizer, foda-se, estamos em 2013 e eu ainda não sei lhe dar bem com isso ou entender isto".
O preço da fama é um dos assuntos favoritos de Eminem, hoje com 41 anos, com um novo álbum "Marshall Mathers LP 2", que estreia dia 05 de novembro sob o selo da Aftermath/Interscope. Ele diz que o projeto é uma "revisitação" ao primeiro Marshall Mathers LP, com uma oportunidade de re-examinar "temas e capítulos que eu sentia que não tinha dado um fim próprio".
Com a invocação de sua obra que lhe rendeu 10.8 milhões de álbuns vendidos, de acordo com a Nielsen SoundScan, é o seu trabalho mais vendido (The Eminem Show fechou em segundo lugar com 10.3 milhões), Eminem sabe que seu próximo trabalho está sujeito a altos níveis de expectativas . Mas ele nunca foi do tipo de se intimidar com um desafio. Quando perguntado se ele esta preocupado se as pessoas vão interpretar o trabalho de forma errada ou comparar com o antecessor, ele diz calmamente:
"Eu faço o que eu faço, tanto faz como as pessoas vão acolher ou não vão acolher" ele diz, "eu sabia que poderia dar margem a expectativas ao chama-lo assim [Marshall Mathers LP 2]. Eu quero dizer que estou confiante com o que eu fiz, mas cabe ao ouvinte decidir".
A ideia de fazer uma viajem de volta veio ate ele apos gravar Hell: The Sequel em 2011, com seu amigo, e parceiro de Detroit Royce Da 5'9". Depois de terminado este projeto, em um momento de criatividade, ele gravou várias músicas solo que amigos, incluindo seu empresário Paul Rosenberg, lhe disse lembrar os tempos antigos.
"Ele estava zoando com algumas coisas e eu disse a ele que algus tons e a voz que ele estava fazendo lembrava seus trabalhos antigos", diz Rosenberg. "Isso plantou a ideia na cabeça dele".
Eminem adiciona: "Uma das coisas que achei que seria legal tentar fazer era ver se eu podia voltar e lembrar as pessoas de como era quando ouviram meus primeiros álbuns. Eu queria tentar recapturar essa nostalgia".
Apesar da nostalgia ter sido efetiva no processo de criação, foi mais complicado para Rosenberg e a Interscope, que tinham agora uma tarefa em mãos de fazer o marketing da sequencia do 14º álbum mais vendido na história da SoundScan e que mudou a industria radicalmente. Para se aproximar da onipotência que Eminem tinha na era de "Total Request Live" e Tower Records, seu time apostou em uma campanha agressiva que se baseou fortemente em parcerias estratégicas.
Novembro marca 5 anos e meio para o segundo ato de Eminem, quem nos anos que se seguram pós 2004 com Encore, acabou se enterrando em Vicodin, Valium e Ambien. Em 2006, seu melhor amigo e confidente Proof foi baleado em um clube em Detroit. O fato fez com que o uso de medicamentos, ainda discreto, se torna-se quase um casamento, e ele passava os dias mergulhado nos efeitos da droga, emergindo de maneira cruel e muitas vezes incoerentes quando ele se levantava da cama. O fundo do poço foi o chão do banheiro, onde sua filha o achou depois de uma overdose de metadona a dois dias do natal de 2007. Médicos dizem que ele estava a duas horas da morte.
"Ele não estava sóbrio, não estava focado não era ele mesmo, era difícil se comunicar com ele". Lembra Rosenberg. "Havia momentos em que você literalmente não conseguia manter uma conversa com ele. E quando você não consegue conversar com alguém ou se conectar com eles de qualquer forma, você sente como se tivesse perdido a pessoa. Foi horrível".
Estes anos se acabaram formalmente em 20 de abril de 2008, quando Eminem finalmente ficou sóbrio com a ajuda de um consultor em reabilitação, a quem ele ainda faz acompanhamento regulamente, apenar de ser com menos frequência que antes. Mas o artista que emergiu de sua superação com as drogas era diferente. Relapse, álbum de 2009 e primeira tentativa de gravar algo desde sua recuperação, era uma visão sombria e desconcertante a forma como as coisas haviam se tornado. Sob a proteção de seu alter-ego Slim Shady o álbum foi implacável no exorcismo dos demônios mais macabros de Eminem.
Um anos depois ele da outro passo para a luz com o álbum Recovery. Em parte retomando a forma, em parte era uma nova página o álbum teve grandes hits como "Won't Back Down" e "Not Afraid," que fez dele pela quarta vez em sua carreira ser o nº 1 da Billboard Hot 100. Na faixa "Talking to Myself", Eminem tenta fazer as pazes, como um bom seguidor dos 12 passos, por ter sido menos do que era em anos anteriores.

"Them last two albums didn't count," (os dois últimos álbuns não conta), ele rima. "Encore I was on drugs, Relapse I was flushing 'em out." (Encore eu estava com as drogas, Relapse estava recuperando delas).
"As coisas estão mais calmas para mim agora" diz Eminem. "havia um tempo que as coisas estavam voando por mim e eu não sabia o que esperar da minha vida. E isto se apoderou de mim, com as drogas e a pressão e toda essa merda. Eu estou em um ponto diferente agora, mas eu ainda quero fazer rap com a mesma energia, intensidade e paixão de antes porque, no final do dia, é o que eu amo".
Não obstante, The Marshall mathers LP 2, é uma continuação da história de Eminem como é um retorno aos seus temas clássicos. Cada som lembra algo de seu retorno humilde incluindo "Legacy," com a participação da cantora Paulina fazendo seu melhor para lembrar a impressão que Dido teve com "Stan", "The Monster" ostenta um fluxo que fica próximo a musica de dança, "Rhyme or Reason" tem sample de música dos anos 60 dos Zombies, "Time of the Season" e "So Far..." faz Eminem, que tem sido um pai por toda a sua carreira, oficialmente rimar como um: "What the fuck I got to do to hear this new song from Luda? Be an expert at computers?" (mas que porra eu tenho que ouvir o novo som do Luda? Ser um expert em computadores?), ele reclama.
Este Eminem é uma extravagancia pop um rapper que se tornou um fenômeno mundial, auto-destrutivo, sobrevivente, e que em algum lugar no caminho, cresceu. A existência de um 8º álbum para alguém que tinha o costume re ridicularizar todos acima de 35 anos não é motivo a menos para comemoração entre seus fãs que tem se mostrado fieis ao longo do tempo. Em 2009 depois de cinco anos longe, Relapse vendeu incríveis 609 mil cópias apenas na primeira semana. No ano seguinte, Recovery foi ainda melhor, com 741 mil cópias na primeira semana e se tornou o artista que mais vendeu álbuns no ano.
Eminem se apresentará no dia 02 de novembro, no "Saturday Night Live" e depois na noite seguinte no YouTube Awards, onde ele é nominado a artista do ano. Em fevereiro de 2014, ele fará uma turnê na Australia e Nova Zelândia junto de J. Cole e Kendrick Lamar, este último se inclui na lista de protegidos do Dr. Dre, juntamente com Snoop Dogg e o próprio Eminem.
"Ele está fazendo o certo agora", diz Eminem sobre Lamar soando bem animado. "Ele parece ser esse menino cheio de vida e feliz por estar ali. Ele causou um impacto nestes últimos anos que foi divertido para mim assistir."
Mas não conte com uma outra sequencia do álbum, um Marshall Mathers LP 3 em 2026. "Eu espero que não", diz Eminem. "Eu não sei o que estarei fazendo lá mas ainda estaria na música. Eu quero fazer [musica] enquanto eu tiver paixão por isto. Mas espero estar envolvido no hip-hop de uma maneira ou de outra. Porque no final das contas, é isto que eu sei fazer".
Fonte: Billboard
Créditos: Eminem Forever

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...